domingo, 28 de outubro de 2007

Ministro Temporão e a Saúde da População Negra




MINISTÉRIO DA SAÚDE
Assessoria de Comunicação Social




Mensagem do Ministro para o Dia de Mobilização Nacional Pró-Saúde da População Negra



O dia 27 de outubro, Dia de Mobilização Nacional Pró-Saúde da População Negra, marca o compromisso que temos na implementação de ações que reduzam as desigualdades no acesso aos serviços de saúde e nos índices de doenças da população negra.
O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem olhado com atenção esse tema. Em 2004, criou um comitê técnico para discussão sobre o assunto, que logo conseguiu a ampliação do tratamento da anemia falciforme, uma doença genética freqüente nesta população.
No fim do ano passado, foi aprovada a Política Nacional de Saúde da População Negra. O novo texto é um marco para o atendimento à saúde da população negra. Por meio dele, o governo federal reconhece a existência do racismo institucional e a desigualdade étnico-racial. A partir do diagnóstico, propõe ações como o treinamento profissional, as ações direcionadas contra agravos e doenças de maior prevalência dessa população, a pesquisa no setor e a participação do controle social pelos movimentos negros.
A Política Nacional de Saúde Integral da População Negra representa um esforço do governo federal no sentido de corrigir as iniqüidades da atenção à saúde desta parcela da população, que corresponde a 45% dos brasileiros.
O nosso desafio é trazer parceiros, gestores estaduais e municipais e representantes da sociedade civil e trabalhadores de saúde para essa política. O movimento social negro é fundamental para essa mobilização, na defesa do SUS e da saúde da população negra.
O esforço deve ser abrangente, seja na acesso a educação, seja na redução da violência uma das principais causas de morte do jovem negro, seja na melhora da qualidade de vida e renda desta população. Determinantes sociais são itens que comprovadamente que interferem nas condições de saúde.
Desejo que este dia seja marcado pela força que a população negra representa e que ele resulte em uma grande mobilização social para mudarmos o quadro de saúde que hoje enfrentamos.

* José Gomes Temporão

2 comentários:

alessandro disse...

A construção de uma política pública de saúde que contemple as especificidades da população negra se faz necessária em função também levando em consideração o perfil epidemiólogico diferenciado dessa população em relação aos não negros e das condições básicas de saúde a que os negros estão expostos em nosso País.
Foi pensando nisso que a ANEPS-PE - Articulação Nacional de Movimentos e Práticas deEducação Popular em Saúde, está construindo o I Seminário de Capacitação em Saúde da População Negrano Sertão de Pernambuco para este ano de 2008 em Ouricuri -PE, conjuntamente Prefeiutra e Secretaria de Saúde e os movimentos sociais no qual vai envolver 41 municípios.
Alessandro Monte - Pernambuco

Anônimo disse...

ospanAcrdito que seja fundamental neste evento o debate politico a cerca das condições de saúde da populaão negra no Estado de PE. Este debate politico, de cunho claramente ideológico, deve levar em consideração o lugar dos negros e das negras do nosso País, suas singularidades e ascentralidade, apontando para politicas de saúde, onde os cuidados de atenção a saúde desta população, incorpore suas crenças, culturas, tradições e práticas de cuidado com a saude.
Carlos Silvan
Educador e Antropologo da Saúde