domingo, 27 de abril de 2008

EPARREI! O ACARAJÉ É NOSSO !


Originado nos cultos de candomblé, oferenda à Oiá, ou Iansã, rainha dos raios e dos ventos, o acarajé hoje é um produto comercial que visa quase exclusivamente o lucro. Além disso, hoje pode ser feito por homens, algo incomum até pouco tempo atrás.
O assunto foi abordado na tese de doutorado defendida por Gerlaine Martini, do Departamento de Antropologia (DAN) da UnB.
O acarajé passou a ser vendido como um mero produto turístico. Antigamente era uma atividade tradicional e religiosa das baianas, muitas delas hoje convertidas à religião evangélica.
O acarajé está iniciando um processo de industrialização”, afirma Gerlaine.Embora o ofício seja secularmente feminino, aos poucos os homens adentraram nesse território. O fenômeno teve origem pela falta de herdeiras da tradição em uma empresa familiar de Salvador. Assim, as baianas autorizaram o primeiro representante masculino na tarefa, a fim de “inseri-lo no mercado de trabalho”, concessão que só ocorria em casos de morte de parentes mulheres na família, como avós, mães e filhas.
Para o candomblé, é uma “transgressão”, uma vez que suas regras diferenciam os ofícios masculinos dos femininos.
Outros aspectos de mudança na tradição ocorre quando adeptas do candomblé se tornam protestantes. Mesmo professando uma nova crença, desejam manter sua fonte de renda. Para isso, decidem retirar todos os signos que liguem o quitute à religião africana, como a roupa branca, o turbante e as contas no pescoço. Desfiguram o ofício ao querer que o acarajé seja visto não como uma oferenda, mas apenas como uma refeição. Ou um fruto da terra, como dizem as baianas tradicionais.Para completar, com o boom do turismo nas décadas de 1980 e 1990, a iguaria começou a ser vendida em barracas de praia, lanchonetes, supermercados e delicatessens, constituindo uma impessoalidade absolutamente contrária à figura da baiana que preparava o alimento artesanalmente, vestia suas roupas típicas e levava o tabuleiro para lugares que remetem aos “cantos”. Esses eram os locais onde os escravos vendiam produtos no período colonial, como meio de subsistência e de obter dinheiro para os centros religiosos.
Foi nesse contexto que a Associação de Baianas de Acarajé e do Mingau do Estado da Bahia (Abam), o Centro de Estudos Afro-Orientais da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e o Terreiro Ilê Axé Opô Afonjá entraram com um pedido de inclusão do ofício das baianas do acarajé como patrimônio cultural - e do acarajé como bem imaterial - no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Ministério da Cultura (Minc), concedido em 2004
Fonte:www.unb.br

3 comentários:

Edy disse...

“pedido de inclusão do ofício das baianas do acarajé como patrimônio cultural”

Há! se todo o nosso povo pensasse dessa maneira... Tratar o que é nosso como nosso. Sé é patrimônio de nossa religião deve ser trabalhado pelo povo de nossa religião. Até então não tenho visto baianas vestidas de a caráter vendendo Bíblias e distribuindo literaturas em suas bancas. Já não é mais tempo de estarmos pedindo arrego a qualquer que seja, temos nosso direito de povo assegurado pela Lei, e se não tivéssemos, pouco importa, quem criou tudo foi nosso Pai “Osalá”... É direito de todos, temos que aceitar e têm eles que nos aceitar.

O acarajé se manterá sempre nas mentes e na memória do povo brasileiro, por mais adereços que ponham ou retirem da iguaria, será sempre “Eparrei” Acarajé... Temos que só ter o cuidado para que isso não aconteça como o caso da rapadura “foi patenteada na Alemanha” como produto alemão.

quilombonnq disse...

REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA! 1
Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada a elite mundial, é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criou-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo estes afro-ameríndio descendentes vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosas quantos as do 1º Mundo. É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc. Movimento Revolucionario Socialista QUILOMBOLIVARIANO
vivachavezviva.blogspot.com/
quilombonnq@bol.com.br
Organização Negra Nacional Quilombo
O.N.N.Q. Brasil fundação 20/11/1970
por Secretário Geral Antonio Jesus Silva

quilombonnq disse...

REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA! 2

Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direito e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder Zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construí dor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar a história do nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Oswaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam.Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Argnetina,Boliviana, Peruana,Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma , não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução Quilombolivariana e bradaram Viva a,Viva Simon Bolívar Viva Zumbi, Viva Che, Viva Martin Luther King,Malcolm X Viva Oswaldão, Viva Mandela, Viva Chávez, Viva Evo Ayma,Rafael Correa, Fernado Lugo, Viva a União dos Povos Latinos afro-ameríndios, Viva 1º de maio, Viva osTrabalhadores e Trabalhadoras dos Brasil e de todos os povos irmanados. Movimento Revolucionario Socialista QUILOMBOLIVARIANO
vivachavezviva.blogspot.com/
quilombonnq@bol.com.br
Organização Negra Nacional Quilombo
O.N.N.Q. Brasil fundação 20/11/1970
por Secretário Geral Antonio Jesus Silva